Cátedra Kaapora

EQUIPE

COORDENAÇÃO 

Florianita Coelho Braga-Campos (lattes)

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Brasília (1977), é sanitarista pela Universidade Estadual de Campinas (1984), possui mestrado em Psicologia (Psicologia Social) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1989) e doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Atualmente é professora da Universidade Federal de São Paulo - Baixada Santista. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Organização da Atenção e Gestão do Trabalho na Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde mental e Atenção Básica e apoio matricial; vida em comum, convívio e os espaços públicos. Atuando na reforma psiquiátrica, tem trabalhado eixos fundamentais para o processo de desinstitucionalização: desconstrução do hospital psiquiátrico e constituição de redes de cuidados, incluindo os serviços substitutivos de base territorial e comunitária. É membro do Laboratório do Conhecimento Compartilhado em Saúde Mental (Unifesp-BS) e da coordenação da Cátedra Kaapora (Unifesp-PROEC) e foi (2013-2017) Pro-Reitora de Extensão e Cultura da Unifesp.

 

Ilana Seltzer Goldstein (lattes)

Mestre em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo e Doutora em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas. Docente no Departamento de História da Arte da Universidade Federal de São Paulo - Unifesp, sendo responsável pelas disciplinas História da Arte Ameríndia e Antropologia e Arte. Membro do Programa de Pós-Graduação em História da Arte e integrante do grupo do CNPq Todas as Artes | Todos os Nomes: Pesquisas sobre Arte na Contemporaneidade. Atuou como assessora cultural na Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unifesp de 2015 a 2017. Desde 2016, é co-coordenadora da Cátedra Kaapora, voltada à valorização de conhecimentos e formas expressivas tradicionais e não-hegemônicos. Anteriormente, foi coordenadora e professora no MBA Gestão de bens Culturais, da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP) de 2008 a 2013, e docente na Pós-graduação lato sensu Gestão cultural: cultura, desenvolvimento e mercado, do Centro Universitário SENAC, entre 2011 e 2013. Paralelamente à trajetória acadêmica, elaborou, coordenou e avaliou projetos artístico-culturais junto a diversas organizações, como Sescoop, Itaú Cultural, Companhia das Letras e Ministério da Cultura. Participou das curadorias das exposições Terra Paulista: História, Arte e Costumes (Sesc Pompeia, 2005); Jorge, amado, universal? (Museu da Língua Portuguesa e Museu de Arte Moderna da Bahia, 2012); Tempo dos Sonhos: a arte aborígene contemporânea da Austrália (Caixa Cultural, 2016, 2017 e 2018; Casa Fiat de Cultura, 2017).

Alberto Tsuyoshi Ikeda (lattes)

Professor do Instituto de Artes (Aposentado, 2014), da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP - S. Paulo), das disciplinas Etnomusicologia, Cultura Popular e Seminários de Pesquisa em Música (Pós-Graduação). Professor-Colaborador, co-responsável na Disciplina Metodologia da Pesquisa em Música - PPGM-ECA-USP (2014, 2015, 2016, 2017, 2019). Professor Co-Orientador do Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina, da Universidade de São Paulo - PROLAM/USP (2015, 2016, 2017, 2018, 2019). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em música e as culturas populares, atuando principalmente nos seguintes temas: música popular brasileira, música popular-tradicional (folclore/etnomúsica), samba, carnaval, folguedos e danças populares, música brasileira e gêneros de música popular brasileira. Licenciado em Educação Artística - Música, pelo Instituto Musical de São Paulo (1977); Mestre em Artes, pela Escola de Comunicações e Artes, da Universidade de São Paulo (ECA-USP, 1989) e Doutor em Ciências da Comunicação, pela ECA-USP (1995). Criador e coordenador do Grupo de Estudos: Música étnica e popular (Brasil/América Latina), desde 1995. Consultor da Cátedra Kaapora, da Diversidade Cultural e Étnica na Sociedade Brasileira: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC).

 

Rodrigo Barbosa Ribeiro (lattes)

Possui graduação (1997) em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, mestrado (2001) e doutorado (2008) em Ciências Sociais (área de concentração em antropologia) pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). Atuou em cursos de graduação de várias áreas do saber, tanto em bacharelados como em licenciaturas, tendo ministrando disciplinas das ciências sociais (sociologia, metodologia de pesquisa e do trabalho científico, mas em especial antropologia). Começou a carreira docente na UEL (Universidade Estadual de Londrina), tendo prosseguido sua atuação na AVEC (Associação Vilhenense de Educação e Cultura), na Univale (Universidade do Vale do Rio Doce), na Uninove (Centro Universitário Nove de Julho) -, na PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e na UFU (Universidade Federal de Uberlândia). Atualmente é docente da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Campus Guarulhos, atuando na subárea de antropologia do Departamento de ciências Sociais. Tem experiência de pesquisa na área de Antropologia, com ênfase em Etnologia Indígena e em Teoria Antropológica, atuando principalmente nos seguintes temas: povos autóctones - Kaingang, Krahô e Maxakali, colonialismo, violência, uso de bebidas alcoólicas.

 

EQUIPE ATUAL

Debora Galvani (lattes)

Graduação em Terapia Ocupacional pela Universidade de São Paulo (1997) e mestrado em Ciências, pela Faculdade de Medicina USP (2008), doutorado em Ciências, pelo Instituto de Psicologia da USP (2015). Professora Adjunta da Universidade Federal de São Paulo, atualmente na Coordenadoria de Direitos Humanos da Pro-reitoria de Cultura e Extensão da UNIFESP. Coordenadora do Projeto Metuia - Terapia ocupacional social -UNIFESP/Santos; pesquisadora e membro do núcleo Amanar da Casa das Áfricas. Experiência na área de Terapia Ocupacional, com ênfase em Terapia Ocupacional Social, em ações territoriais e comunitários, principalmente nos seguintes temas: diversidade cultural, antropologia urbana, mobilidade e direitos humanos, pessoas em situação de rua, redes de interdependência, religiosidade e África.

 

Valéria Mendonça de Macedo (lattes)

Antropóloga, é professora no Departamento de Ciências Sociais e no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UNIFESP, onde leciona desde 2011. Concluiu o mestrado e o doutorado no Programa de Pós- Graduação em Antropologia Social da USP. Fez graduação em Ciências Sociais na USP e Cinema na FAAP. É pesquisadora associada ao Centro de Estudos Ameríndios (CEstA) da USP. Com experiência etnográfica entre populações guarani no estado de São Paulo, seu campo de pesquisa volta-se para práticas de conhecimentos indígenas em contextos contemporâneos, que incluem políticas, projetos e eventos. Também desenvolve pesquisa em instituições de saúde indígena, estabelecendo diálogos na área de antropologia do corpo, que converge abordagens etnológicas, dos estudos de ciência e tecnologia e de gênero e sexualidades.

Maria Cristina Cabral Troncarelli (lattes)

Educadora especialista em educação escolar indígena, membro da equipe multidisciplinar do Projeto Xingu da Unidade de Saúde e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sâo Paulo, onde coordenou de 2006 a 2011 a formação no ensino fundamental de 55 agentes indígenas de saúde de Parque Indígena do Xingu. Atua também na Associação Cultural Cachuera! no Projeto Acervo Edições Didáticas Cachuera, na elaboração de livro/CD e DVD elaborados em parceria com comunidades afrobrasileiras de Guaratinguetá, Capivari, Piracicaba e Tietê/SP e Belo Horizonte/MG. Coordenou de 1996 a 2006 o Projeto Urucum/Pedra Brilhante de Formação de Professores do Parque Indígena do Xingu através do Instituto Socioambiental e de 1993 a 1995 a Formação de Professores Indígenas de Rondônia através do Instituto de Antropologia e Meio Ambiente. É assessora na formação de professores Mebêngôkre, Panara e Tapayuna através da Funai e do Instituto Raoni; na formação de professores Tiriyó, Kaxuyana e Wajãpi através do Instituto de Pesquisa e Formação Indígena (IEPÉ) e de professores Yanomami através do ISA/Pró-Yanomami.

 

Yanet Aguilera Viruéz Franklin de Matos (lattes)

Professora de História do Cinema do Curso de História da Arte da Universidade Federal de São Paulo. Possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1985), mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1996) e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2007). Atuando principalmente nos seguintes temas: cinema, estética, ética, artes plásticas e política.

 

Luiz Henrique Passador (lattes)

Professor Adjunto da UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista, Investigador Visitante do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-ULisboa) e Investigador Associado do Cebrap-Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Doutor em Antropologia Social pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas (2011), com tese sobre HIV/Aids no Sul de Moçambique e estágio de doutorado sanduíche no Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). Tem experiência docente no ensino superior em instituições públicas e privadas, (graduação e pós-graduação). Tem interesse e experiência de pesquisa nas áreas de Teoria Antropológica, Antropologia da África Contemporânea, Antropologia da Saúde, Estudos de Gênero e Sexualidade, ITS/HIV/Aids e História da Antropologia no Brasil.

 

Paulo Dias

Pianista, organista, percussionista e etnomusicólogo. Bacharelou-se em piano pela Unicamp-SP. Foi pianista e professor de matérias teóricas no Coral da USP por quinze anos. Foi solista da Orquestra Sinfônica de Campinas, sob a regência de Benito Juarez, e da Orquestra de Câmara da UNESP, regida por Ernest Mahle. Como percussionista de música popular, realizou shows e gravações com artistas como Eliete Negreiros, José Miguel Wisnik, Osvaldinho da Cuíca, Grupo Beijo, Virgínia Rosa, Paulo Tatit e Sandra Peres, Mônica Salmaso, Ivaldo Bertazzo, entre outros. Desde 1988 realiza um extenso levantamento das tradições musicais populares brasileiras, e em especial das afro-brasileiras da Região Sudeste. Fundou e dirige a Associação Cultural Cachuera! entidade que tem como objetivo a pesquisa, o registro e a divulgação da cultura popular. O amplo acervo desta instituição está disponível à consulta pública.

Marta Denise da Rosa Jardim (lattes)

Professora do Departamento de História da Arte da Escola de Filosofia Letras e Ciências Humanas da UNIFESP. Pesquisadora, colaboradora do Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique. Pesquisadora do Centro de Estudos de Migrações Internacionais - Departamento de Antropologia, UNICAMP, CNPQ. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa- DGP- CNPQ: Etnografia e História das Práticas Artísticas e das Línguas das Áfricas. Concluiu mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998) e doutorado em Ciências Sociais- Antropologia pela Universidade Estadual de Campinas (2006). Foi PÓS-DOC FAPESP- CEBRAP- CEA-UEM entre 2006 e 2009. Foi Visiting Scholar na School of Anthropology and Museum of Ethnography da Oxford University em 2016. Atua nos seguintes temas: Performance dos objetos, Etnografia e História das Práticas Artísticas e das Línguas das Áfricas; reprodução da família e regulação da herança; hindus; Sul de Moçambique, (Kwa Zulu Natal) África do Sul.

© 2013 - 2018 Universidade Federal de São Paulo - Unifesp 
Rua Sena Madureira, n.º 1.500 - Vila Clementino - São Paulo - SP - CEP: 04021-001 

 

Sobre o portal | Comunicar erros no site